quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Entrega

Era apenas um homem que me apareceu de repente
Gentil, divertido, atraente.
Li por entre seus olhos os segredos de uma mulher
Fascinante, o desejo a me tolher.

Gostava de abraço, dei meus braços,
Senti o coração, no mesmo compasso.
Vibrou a alma, arrepiou a pele
E agora quer que eu me entregue.

Virou um vício, o maior de todos,
Dos que guardo em segredos dos tolos.
Segredos que não posso revelar

Sem saber se um dia vai me amar.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

23 minutos

Abraço não é um junção de braços. 
Abraço é aço é corpo no regaço.

Dois braços não se resumem em abraço.
Abraço é corpo, pele, contato.

Um abraço instantâneo é válido
Mas acaba quando afasto.

Abraço pra ser bom
Tem que sugar o cansaço.
Tem que ir além dos braços
Tem que envolver o mundo.

Abraço de verdade
Tem que ter 23 minutos.

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Só me chamar...

A delícia de amar não é você
É seu cuidado, seu carinho, seu jeito.
A delícia de amar não é você
É seu sorriso, seu olhar, seu cheiro.
A delícia de amar não é você
É seu abraço, sua pele, seu beijo.

A delícia de amar é tudo isso
Um conjunto de sentimentos
Que misturado me atiço
E me ardo em desejos.