domingo, 25 de julho de 2010

Por um triz

Vivemos por um triz
Da magia
Dos 15 anos
Da velhice
Do salto
Do mergulho
Do quebra cabeças
Do engano
Da ida
Da volta
Da esquina
Do viaduto
Da canção
Da solidão
Do parto
Do sim
Do não
Do longe
Do perto
Do Paranoá
Da Rodrigo de Freitas
Da Pampulha
Da lagoa serena
Do desejo
Do seu
Do meu
Do nosso
Do beijo
Da loucura
Do fim.

Quarto

Era apenas uma quarto
Dalí se pulava a janela
Rabiscava a parede
Jogava almofadas
Pois era apenas um quarto

Não se pedia perdão
Se o pecado original acontecesse
Pois alí podia, sem filosofia
Sem pudor.
Pois era apena um quarto.


Me tranqui alí dentro
Envelheci com meus medos
Estilisei minhas professias
E me deitei para dormir

Ali mesmo
Pois era apenas um quarto.